Quem somos?

Os animalogantes da casa:

Investigadora principal IBMC, Porto, nas áreas etologia, bem-estar animal e ética animal.

Anna Olsson (e Hugo)
Ainda como aluna de licenciatura em Ciência Animal na Universidade Sueca de Ciências Agrícolas me apercebi que devia haver mais na Ciência Animal do que criar vacas que dessem mais leite. Ao licenciar-me, em 1994, defini como área profissional a Etologia e Bem-estar Animal, o que se mantém até os dias de hoje.

Tendo completado o meu doutoramento em Etologia na mesma universidade, em 2001, comecei o meu post-doc indo contra todas as recomendações, num tópico no qual não tinha ainda experiência – comportamento e bem-estar de roedores em laboratório – e num lugar onde ninguém tinha ainda realizado trabalho nessa área. Isto resultou na criação do Grupo de Ciências de Animais de Laboratório (Laboratory Animal Science group) no Instituto de Biologia Molecular e Celular (IBMC) no Porto, um grupo que lidero desde 2005. O que salvou a minha sanidade académica ao mudar de tópico, instituição e país foi em grande medida a colaboração que encetei em 2002 com o Prof. Peter Sandøe, do Danish Centre for Bioethics and Risk Assessment. Esta colaboração é hoje a base de uma linha de investigação em ética da experimentação animal e tecnologia, desenvolvida em paralelo com a investigação em comportamento e bem-estar animal. Tendo aprendido acerca da dificuldade de reproduzir murganhos ("ratinhos") em laboratório the hard way - ou seja, por experiência própria - tenho um particular interesse no comportamento maternal e sobrevivência das crias.

Sou membro do editorial board da revista Laboratory Animals,  fiz parte do concelho e sou presentemente membro do Concelho de Ética da International Society for Applied Ethology e faço parte do executive board da European Society for Agricultural and Food Ethics. Sou ainda secretária executiva do Comité de Ética Animal do Laboratório Associado IBMC_INEB, bem como coordenadora do nosso internacionalmente creditado curso em Ciências de Animais de Laboratório - FELASA Cat C.

Apesar da grande afinidade entre mim e o Hugo, nosso vizinho felino no Verão, não estamos necessariamente de acordo sobre a importância do bem-estar em ratos.   
Médico Veterinário, Newman Fellow in Veterinary Ethics,University College Dublin


Tendo desde cedo manifestado um fascínio confesso por animais não humanos, foi sem surpresa que ingressei na licenciatura de Medicina Veterinária do ICBAS, concluída em 2001. Durante 5 anos, entre um estágio interminável e a vida profissional, dediquei-me por inteiro à Clínica e Cirurgia em Animais de Companhia. Desse tempo guardo tanto de gratificante realização como de angustiante frustração e por isso decidi mudar de vida. Em finais de 2004, iniciei funções docentes na EUVG – que ainda hoje mantenho -, tendo aceitado o desafio de dirigir o Centro Veterinário Universitário, no ano lectivo 2006-07.

Entretanto comecei a interessar-me por questões éticas que envolvessem o uso de animais, em parte como uma forma de aplacar a frustração sentida anteriormente. Nesse sentido, completei em 2008 o Mestrado em Bioética pela FMUP com uma dissertação original sobre o estatuto moral dos animais. Desde então que me tenho dedicado à bioética animal e à ética profissional veterinária. Em 2014 completei o doutoramento sobre o ensino da ética a alunos de medicina veterinária (ICBAS-IBMC/UP). Actualmente tenho uma bolsa de investigação em ética veterinária na School of Veterinary Medicine, University College Dublin, onde desenvolvo um projecto sobre as questões éticas - presentes e futuras - da classe veterinária na Irlanda.


Biólogo, Professor, pós-doc IBMC

Nuno na Noite dos Investigadores (Porto)
Após me licenciar pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro em Ensino de Biologia e Geologia, e tendo começado a minha carreira em 2002 como professor destas disciplinas, logo me apercebi que queria mais da Ciência do que poder contá-la a outros, o que me levou a tirar uma segunda licenciatura em Biologia (Ramo Animal), ainda no período “pré-bolonha”.

Um estágio em 2006/2007 levou-me ao grupo de Ciências de Animais de Laboratório, onde em 2012 concluí o meu projecto de doutoramento, focando-me no bem-estar dos animais usados nas áreas da Tuberculose e da Doença de Huntington. Interessam-me também as complexas relações entre ciênca, ética, sociedade e legislação que definem as nossas atitudes e acções para com os animais, sobretudo os de laboratório. 

Sendo professor e biólogo, por formação e vocação, vejo oportunidades para a pedagogia na da minha actividade científica e para fazer ciência das minhas incursões pedagógicas. Esta dualidade encontra expressão em trabalho de investigação na área da Didáctica das Ciências, no gosto pela comunicação de Ciência e na participação em actividades de outreach do IBMC e Ciência Viva, como a Escola de Ciências da Vida e da Saúde, a Universidade Júnior, o Projecto Rodentia, Palestras de Ética Animal, a Noite dos Investigadores, visitas a escolas, Famelab e, claro, o Animalogos! Já no sentido inverso, tenho-me interessado em aferir como o ensino formal em ciências de animais de laboratório pode influenciar princípios e práticas em experimentação animal. 

Presto ainda aconselhamento em Ciências de Animais de Laboratório ao Órgão Responsável pelo Bem-estar Animal (ORBEA) do Instituto de Medicina Molecular, da Universidade de Lisboa.

Por princípio e estética, escrevo em Português  pré-Acordo ortográfico de 1990. 



Autores convidados
A partir de 2011, animalogos contará com contribuições regulares do Professor Peter Sandøe, do Danish Centre for Bioethics and Risk Assessment.

Quer contribuir? Envie um e-mail com a sua proposta de tópico para olsson@ibmc.up.pt