sábado, 23 de junho de 2012

Semanas Europeias do Peixe - Qual o seu papel?


Estão a decorrer até ao final de Agosto as Semanas Europeias do Peixe, uma iniciativa da plataforma OCEAN 2012. A campanha visa captar a atenção do público (e consumidor) europeu para os problemas da sobrepesca, apelando a uma intervenção cívica junto dos centros de decisão política para se alterar a Política Comum das Pescas. No âmbito desta iniciativa vai decorrer hoje um cordão humano em forma de peixe em frente ao Padrão dos Descobrimentos.

O tema não nos deve deixar indiferentes; a situação actual de populações selvagens de peixe (aquilo que numa linguagem antropocêntrica é designado por stocks pesqueiros)  é de tal forma preocupante que leva os cientistas a questionar se ainda haverá peixe em 2050 (ouvir o Podcast da Science). Na qualidade de terceiros maiores consumidores per capita de peixe do mundo - atrás de japoneses e islandeses - temos responsabilidades redobradas em mantermo-nos informados e em fazer escolhas conscientes na hora de escolher o peixe que colocamos no prato. Já aqui demos destaque a outras iniciativas como a plataforma Que peixe comer?, lançada pela LPN, e que podem auxiliar nessa tomada de decisão.

6 comentários:

  1. Permites-me uma pergunta pessoal? Como pões em prática estas preocupações?

    (Eu própria tenho dificuldade com a questão da sustentabilidade do consumo de peixe: francamente não sei o que escolher ou onde encontrar o que devo escolher. A minha abordagem é simplesmente ter uma alimentação essencialmente lacto-vegetariana, escolher frango do campo ou carne biológica quando comprar carne e esperar que tudo isto de algum modo compensa as sardinhas que adoro.)

    ResponderEliminar
  2. Confesso que quando escrevi esta mensagem me senti desconfortável em deixar o recado de "qual o seu papel?" sem descrever primeiro qual é o meu, ainda para mais sendo este um tema sobre o qual tenho opiniões fortes. Mas para o fazer iria precisar de mais tempo (e perdia o momentum...), e de uma (relativamente) longa descrição. Comprometo-me, no entanto, a escrever uma mensagem futura sobre escolhas conscientes e informadas de peixe para consumo.

    ResponderEliminar
  3. Penso que não será preciso complicar muito para comer peixe de forma mais saudável. Uma opção que me ocorre no imediato é, quando for comprar peixe, levar consigo a Lista Vermelha de Peixes da Greenpeace Portugal (http://www.greenpeace.org/portugal/pt/relatorios/Lista-vermelha-de-bolso-leva-a-sempre-contigo/) e escolher apenas espécies de peixe que não constem dessa lista. Essa comparação pode até ser feita em casa, uma vez que os hipermercados, pelo menos o Continente, disponibiliza online o peixe fresco que vende: http://www.continente.pt/ProductsIndexMain.aspx?CategoryName=8&SubCategoryName=guaSalgada&CategoryPath=8|805|Fresco1

    Numa análise rápida, os peixes que se vendem no Continente e não constam da lista vermelha são: Besugo, Carapau, Cavala Chicharro, Corvina, Dourada, Faneca, Garoupa, Pargo Mulato, Peixe Espada Preto, Perca do Nilo, Pregado, Robalinho e Robalo, Safio, Salongo, Sardinha e Verdinho. Os preços vão de €1,49/kg até €12,99/kg, portanto há para todas as carteiras e para todos os gostos.

    ResponderEliminar
  4. Caro Ricardo:

    Entre todas as fontes de proteína animal, o peixe é provavelmente a mais global de todas elas, o que coloca desafios acrescidos em termos de sustentabilidade. Quando se compra peixe é preciso olhar para a espécie (não apenas nome genérico mas sim a espécie em específico), a origem (cultivo vs. selvagem), a sua origem geográfica, e no caso de peixe selvagem, o método de captura. E embora a lista da Greenpeace Portugal a que faz referência seja uma pequena ajuda (até porque coloca algumas destas questões), ela está longe de reflectir todas as variáveis em jogo no momento de escolher o peixe. Da lista de peixe do Continente, por exemplo, aconselho-o vivamente a não consumir nem Peixe Espada Preto e muito menos Perca do Nilo. Mais tarde explicarei porquê.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um aspeto curioso da lista do Greenpeace é incluir o salmão. Presumo que é o salmão selvagem que preocupa. Mas o salmão à venda é de aquacultura, o que não é sinónimo de ausência de problemas, mas os problemas serão outros.

      Eliminar
  5. Eles têm um documento muito mais completo com a justificativa para cada espécie de peixe inscrita na lista vermelha. Eu só pus aqui a lista de bolso porque me parece ser a mais prática para levar às compras. Apesar de a Greenpeace Portugal estar aparentemente inactiva desde 2010, acho que fez um bom trabalho enquanto esteve no activo, nomeadamente a criação da Lista Vermelha de Peixes e os rankings dos super e hipermercados. Infelizmente o link para a versão completa da Lista Vermelha de Peixes para não estar a funcionar muito bem, mas encontrei um página (http://www.greenpeace.org/portugal/pt/O-que-fazemos/Campanha-Dos-Oceanos-Mercados-em-Portugal/lista-vermelha/porque-lista-vermelha/) do site deles que tem uma tabelazinha que descreve quais os critérios preenchidos por cada espécie para estar presente na lista vermelha. Para o salmão, o único critério que motivou a inclusão foi o da pesca excessiva. Os outros critérios são:

    - CAPTURA ESPÉCIES VULNERÁVEIS
    - UTILIZA MÉTODOS DE PESCA DESTRUTIVOS
    - UTILIZA MÉTODOS POUCO SELETIVOS
    - PESCA PIRATA

    É de notar que a a Greenpeace também avaliou a sustentabilidade do peixe proveniente da aquacultura: http://www.greenpeace.org/portugal/pt/relatorios/criterios-de-grau-vermelho-d-2/

    De qualquer forma, sempre temos a plataforma da LPN "Que Peixe Comer?", que eu ainda não explorei mas presumo conter conselhos igualmente úteis.

    ResponderEliminar

Obrigado pela sua participação no animalogos! O seu comentário é bem-vindo, em especial se fornecer argumentos catalisadores da discussão.

Embora não façamos moderação dos comentários, reservamo-nos no direito de rejeitar aqueles de conteúdo ofensivo.

Usamos um filtro automático de spam que muito ocasionalmente apanha mensagens indevidamente; pedimos desculpa se isto acontecer com o seu comentário.